NOTÍCIA

Daniel Almeida rebate ataque de Bolsonaro ao combate à escravidão

Por PCdoB na Câmara

Publicado em sexta-feira, 2 de agosto de 2019


Richard Silva/PCdoB na Câmara

“A fala de Bolsonaro desmerece e invalida todas as conquistas das pessoas que lutaram contra o trabalho escravo, que lutaram por melhores condições para o trabalhador”, afirmou o líder comunista. Em sua conta no Twitter, o parlamentar disse que as atitudes do mandatário e as medidas do seu governo buscam “favorecer os empregadores”.

‏O presidente atacou o combate ao trabalho escravo durante evento na terça-feira (30), em Brasília, quando o governo anunciou alterações nas normas de segurança e saúde no trabalho. Bolsonaro considerou muito duras as punições previstas para empregadores que mantenham trabalhadores em situações análogas à escravidão.

As declarações foram repudiadas pelas centrais sindicais. Para o secretário geral da CTB (Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil), Wagner Gomes, esse posicionamento de Bolsonaro vai levar a sociedade brasileira “para o obscurantismo".

O procurador-geral do Ministério Público do Trabalho, Ronaldo Fleury, também rechaçou as críticas. Ele afirmou que o órgão e os auditores fiscais de trabalho encontram situações que “em nada se assemelham aos exemplos dados pelo presidente”.

Bolsonaro chegou a dizer que os proprietários de terra e latifundiários são punidos por oferecer “colchão abaixo de oito centímetros” e quarto com “ventilação inadequada” como critérios para definir as condições análogas às de escravidão.