NOTÍCIA

Daniel Almeida participa de reunião sobre agenda unificada contra Bolsonaro

Por Com informações do PCdoB na Câmara

Publicado em quarta-feira, 4 de março de 2020



Presidentes de oito legendas e líderes partidários na Câmara estiveram reunidos, nesta terça-feira (3), com representantes de entidades da sociedade civil para discutir reação às investidas antidemocráticas de Bolsonaro e defensa de uma agenda unificada no Parlamento.

As últimas ações do presidente da República contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal geraram intensa articulação no Parlamento no início desta semana. Aliados, líderes do Centro e movimentos sociais realizaram duas reuniões para discutir uma reação às novas investidas antidemocráticas de Bolsonaro.

Na última semana, o presidente disparou vídeo pelo WhatsApp convocando a população para manifestações contra o Congresso e o STF, o que gerou duras críticas entre políticos e entidades, e até defesa de pedido de impeachment por parte de juristas.

Na pauta das reuniões desta semana, o impeachment ficou de fora, mas o fortalecimento das manifestações para março e a construção de agenda unificada ganharam força. A proposta é que partidos de centro e oposição proponham uma agenda que substitua a do governo.

De acordo com Daniel Almeida, os encontros são de fundamental importância para barrar o avanço do retrocesso. “Estamos juntos a favor da democracia e contra os ataques do atual governo de Bolsonaro, que cada vez mais destrói os direitos do povo que foram conquistados através de muitas lutas”, disse.

O grupo, composto por presidentes e líderes do PCdoB, PT, PSol, PDT, PSB, Rede, PV, PP, também reforçou a importância dos protestos marcados para este mês, como a de 8 de março, do Dia Internacional da Mulher; de 14 de março, quando completam dois anos do assassinato da vereadora Marielle Franco; e a de 18 de março, pela educação e contra a reforma administrativa.

A reunião com as entidades da sociedade civil foi conduzida pela presidente nacional do PCdoB e vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos. Para ela, é preciso responder com firmeza e serenidade aos ataques de Bolsonaro.