quinta-feira, 22 de março de 2018


FAFEN

Governo fecha fábrica de fertilizantes da Petrobras



Bancada Comunista denuncia o encerramento das atividades da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados da Bahia (Fafen-BA), localizada no Polo Petroquímico de Camaçari, e da unidade de Sergipe.

Reprodução da internet

Segundo a direção da Petrobras, os prejuízos verificados em ambas as unidades não justificam seu funcionamento. O governo argumenta que haverá “hibernação” das duas unidades da estatal petrolífera. Isto representa mais um passo na estratégia de deixar o setor de fertilizantes, conforme o Plano de Negócios e Gestão 2018-2022.

A deputada federal Alice Portugal (PCdoB-BA) salienta que essa paralização gera descontinuidade na produção, com efeitos negativos na conservação dos equipamentos e prevenção de impactos ambientais. Estas atividades seriam iniciadas até o fim do primeiro semestre deste ano.

“Soberania na agricultura é uma questão de sobrevivência, e países com visão estratégica não abrem mão disso. Ao contrário das gestões dos ex-presidentes Lula e Dilma, quando foi colocado em prática um plano de expansão dos negócios de fertilizantes no Brasil, o atual governo golpista e entreguista foca no retorno de curto prazo dos ativos da Petrobras”, destaca a parlamentar.

A unidade da Petrobras em Camaçari é a primeira fábrica do Polo Petroquímico local. Conhecida como a “semente do Polo”, foi a primeira fábrica de ureia do Brasil e teve suas operações iniciadas em 1971. É responsável pela produção de 474 mil toneladas/ano de ureia, 474 mil toneladas/ano de amônia e 60 mil toneladas/ano de gás carbônico.

De acordo com Davidson Magalhães (PCdoB-BA) este é um risco de fechamento do Polo Pertoquímico de Camaçari, uma das maiores fontes de receita da Bahia. “É um atentado ao processo de industrialização. E para a agricultura brasileira, que consome quase noventa por cento de fertilizantes importados, é uma perda estratégica para o desenvolvimento da agricultura e do agronegócio no Brasil”.

Os fertilizantes são insumos essenciais para a produção agrícola, fato que obriga qualquer nação a tratar sua produção como questão de segurança nacional e importância fundamental no desenvolvimento da agricultura e da pecuária no país.

Para o deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA), a medida implicará no aumento do desemprego na região. “São 700 trabalhadores ameaçados com a perda de seus empregos. Por isso, nós estamos na Câmara dos Deputados mobilizados para realizar uma comissão geral, parar o funcionamento do plenário para discutir o desmonte da Petrobras, o desinvestimento e o fechamento destas empresas”, afirmou.

Por: Maiana Neves e Iberê Lopes
Fonte: PCdoB na Câmara









Últimas Notícias


CDEICS
Precarização e direitos trabalhistas são destaques em painel da CDEICS


Política Externa e Inserção Internacional são temas de audiência na CDEICS

Estatais
Daniel Almeida comemora decisão do STF que impede desmonte da Petrobras

Abastecimento
Daniel Almeida comemora inauguração da adutora em Campo Alegre de Lourdes


Painel promovido pela CDEICS debateu financiamento do desenvolvimento econômico


Notícias relacionadas


Estatais
Daniel Almeida comemora decisão do STF que impede desmonte da Petrobras

Economia
Seminário discute desinvestimentos da Petrobras e impactos na economia da Bahia

Fafen
Desinvestimento na Petrobras aumenta desemprego


Comissão Geral debate fechamento da Fafen nos estados da Bahia e Sergipe

Fafen
Após pressão da Oposição, governo recua no fechamento da Fafen



Escritório Político Salvador:
Rua Rubens Guelli, 134, Ed. Empresarial Itaigara, sala 203
Itaigara, Salvador-BA
CEP: 41815-135

Tel: (71) 3266-0063
ascom@daniel.org.br