domingo, 20 de janeiro de 2019


INTOLERÂNCIA RELIGIOSA

Daniel Almeida critica crescimento de casos de intolerância religiosa



Os crescentes ataques as religiões de matriz africana preocupa o parlamentar baiano, autor da Lei Federal que celebra o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa.

Após 12 anos da instituição da Lei Federal 11.635/2007 que celebra o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, de autoria do deputado federal Daniel Almeida (PCdoB), cresce os números de casos de intolerância religiosa na Bahia. No último dia 12, o Terreiro Ilê Axé Ojisé Olodumare, conhecido como Casa do Mensageiro, em Barra do Pojuca, Camaçari, foi invadido por homens armados que espalharam pânico levando pertences e celulares dos visitantes e fiéis da casa durante a ação.

Segundo dados da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado da Bahia (Sepromi), em 2018 foram registrados 141 casos, 84 de racismo e 47 de intolerância. O Ministério Público do Estado registrou, através do aplicativo 'Mapa do Racismo', 43 denúncias de casos de racismo, injúria racial e intolerância religiosa. O Disque 100, canal de serviço do Ministério dos Direitos Humanos que atende situações de violações, cadastrou 210 denúncias de desrespeito às religiões e crenças no primeiro semestre do ano de 2018.

"O 21 de janeiro tem uma importância singular para assegurar o direito à livre manifestação religiosa. Pois, embora garantido pela constituição, a liberdade de crença religiosa ainda é um desafio para milhões de brasileiros, a exemplo de indígenas, quilombolas e praticantes de religiões afro-brasileiras. Não podemos permitir o desrespeito ao espaço sagrado, precisamos abrir espaço para todas as religiões e denominações religiosas", disse Daniel.

A Lei Federal 11.635/07, que cria o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, comemorado no dia 21 de janeiro, surgiu como uma homenagem à Iyalorixá Gildásia dos Santos – a Mãe Gilda. A religiosa morreu em 21/1/2000 vítima de complicações de um infarto após ter sua foto publicada na matéria "Macumbeiros charlatões lesam o bolso e a vida dos clientes", do jornal Folha Universal. Por conta da reportagem, a casa onde ela residia foi invadida, seu esposo foi ofendido, agredido e o Terreiro depredado.

Fonte: Ascom Daniel Almeida









Últimas Notícias


Artigo
Daniel Almeida: 100 dias perdidos no Brasil

Lula Livre
“É cada vez mais necessário gritar Lula Livre”, afirma Daniel Almeida


Daniel participa de ato realizado por Agentes de saúde


Filhos de Gandhy celebram cultura da paz em sessão solene na Câmara


Sessão Solene comemora 70 anos do Afoxé Filhos de Gandhy e 470 anos de Salvador


Notícias relacionadas



“A Reforma da Previdência traz danos a direitos dos mais pobres”, critica Daniel Almeida


Sancionado projeto de Daniel que concede licença para exames preventivos de câncer

Prevenção
Projeto de Daniel que estimula exames preventivos de câncer vai à sanção

Eleições 2018
Daniel inaugura comitê político de campanha

CDEICS
Precarização e direitos trabalhistas são destaques em painel da CDEICS



Escritório Político Salvador:
Rua Rubens Guelli, 134, Ed. Empresarial Itaigara, sala 203
Itaigara, Salvador-BA
CEP: 41815-135

Tel: (71) 3266-0063
ascom@daniel.org.br