NOTÍCIA

Daniel Almeida critica Orçamento de Bolsonaro para 2021 com mais arrocho social

Por PCdoB na Câmara

Publicado em terça-feira, 1 de setembro de 2020


Jornal Contábil

O Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) para 2021, encaminhado ao Congresso Nacional na segunda-feira (31), reforça a orientação de arrocho fiscal da equipe econômica do governo federal, projetando sacrifícios cada vez maiores para a população mais vulnerável e mais cortes de gastos em áreas como saúde e educação.
 
Segundo o líder em exercício do PCdoB na Câmara, deputado Daniel Almeida (BA), Bolsonaro insiste em maltratar os trabalhadores, os mais pobres, enviando ao Legislativo uma proposta de lei orçamentária "que não tem qualquer ação para investir no desenvolvimento". "O País não terá qualquer investimento pelo que está previsto no Orçamento e em função também da Emenda 95. Mas o que é pior: ele não faz qualquer elevação no valor do salário mínimo. Zero de reajuste no salário mínimo", criticou.
 
O salário mínimo para 2021 é estimado em cerca de R$ 1.067,00, com correção apenas pela inflação (INPC) prevista até dezembro. O valor atual do piso nacional é de R$ 1.045,00. Se o valor colocado na proposta de Orçamento se confirmar, será o segundo ano sem ganho real para o mínimo.
 
Para o deputado baiano o valor do mínimo no Brasil ainda é pequeno, mas as políticas de valorização adotadas recentemente se mostraram eficientes para dinamizar e fazer crescer a economia. "Todos nós sabemos que o salário mínimo é um grande instrumento de dinamização da nossa economia", afirmou o parlamentar.