quarta-feira, 1 de novembro de 2017


SALÁRIO MINÍMO

Deputados condenam corte do salário mínimo em 2018



Daniel Almeida considera que redução de R$ 14 terá impacto negativo no orçamento das famílias brasileiras.

Álvaro Portugal/PCdoB na Câmara

Sem conseguir fechar as contas, o presidente ilegítimo Michel Temer mais uma vez irá penalizar os trabalhadores. Nesta semana, o governo reduziu a previsão de reajuste do salário mínimo para 2018, que deve cair de R$ 969 para R$ 965. O corte de R$ 4 ocorrerá porque a inflação, considerada no cálculo, está mais baixa. Vale lembrar que, em agosto, já havia sido anunciada uma redução de R$ 10 nos valores que totalizavam R$ 979.

Para o deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA), é inaceitável reduzir a renda de trabalhadores que já estão sendo prejudicados por outras medidas governamentais, como a Reforma Trabalhista que sepultou direitos. “O salário mínimo já é baixo. R$ 14 farão falta às famílias. É o pão e o leite da criança. É realmente um acinte. Cabe aos trabalhadores se organizarem e resistirem para lutar contra esse desmonte absurdo”, afirma Daniel.

Na avaliação do parlamentar, o golpista está anunciando o arrocho dos trabalhadores para pagar a conta do mercado financeiro por ter se livrado da segunda denúncia por corrupção na Câmara dos Deputados. No dia 25, o Plenário da Casa rejeitou a autorização para que o Supremo Tribunal Federal (STF) desse andamento a processo criminal por obstrução de justiça e organização criminosa. “Temer faz tudo isso para pagar a conta da sua proteção, para que não seja investigado. O governo quer que os banqueiros continuem a lucrar. Ele só não mexe no lucro dos rentistas”, diz Daniel Almeida.

O governo também deve enviar ao Congresso um pacote com novas medidas de arrecadação e de corte de gastos. Entre as propostas, está o aumento da contribuição previdenciária dos servidores públicos de 11% para 14% para quem recebe acima de R$ 5 mil, além do adiamento por um ano dos reajustes dos funcionários públicos do executivo federal. Concursos públicos estão autorizados, mas só para preencher o mesmo número de cargos que ficarem vagos. 

Por: PCdoB na Câmara
Fonte: PCdoB na Câmara









Últimas Notícias



Presidente da CDEICS apresenta balanço das atividades de 2018

Direitos Humanos
Daniel cobra respeito aos direitos humanos no Brasil


Emenda parlamentar de Daniel Almeida garante ampliação do Hospital Municipal de Itiúba

Prevenção
Projeto de Daniel que estimula exames preventivos de câncer vai à sanção


PCdoB e PPL celebram união em ato político




Escritório Político Salvador:
Rua Rubens Guelli, 134, Ed. Empresarial Itaigara, sala 203
Itaigara, Salvador-BA
CEP: 41815-135

Tel: (71) 3266-0063
ascom@daniel.org.br